Não sabe desenhar, não é designer! | Anibal Sá Design

Não sabe desenhar, não é designer!

Polêmico né?! Parece que sim, se você apenas olhar a superfície. Agora, o que é desenhar? E o que é um designer?

Desenhar não é apenas rabiscar linhas sobre um papel ou copiar uma forma já existente, mesmo que isso resulte numa bela imagem final.

Desenhar envolve muito mais que usar um lápis!

Saber o que representa um ponto e uma linha em duas e três dimensões.
Perceber as formas obtidas a partir desse dois vetores e obter novas formas a partir deles dentro dessas dimensões, representando-as graficamente, é um pré-requisito básico para saber desenhar.

Entender o processo de luz e sombra e saber utilizá-los em uma representação gráfica é a base para criar camadas de objetos em planos bi e tridimensionais. É o que leva a uma dupla profundidade no processos de desenhar. A primeira é obtida pelo autor do desenho, que além de avaliar corretamente os pesos e os contrastes entre formas e entre planos, consegue atingir realmente a representação gráfica imaginada para aquele desenho. E a segunda profundidade acontece quando o resultado pretendido pelo autor é o mesmo na percepção de todos que olham o mesmo desenho.

Ao saber usar a luz e a sombra, você não apenas ontem dimensões de pesos e contrastes, mas aprende a atingir o equilíbrio do uso de cores dentro do projeto.
E as cores por si só representam uma gama de tonalidades entre si, como despertam infinitas outras gamas de percepções no olhar dos leitores do desenho em si.

E daí vem a perspectiva dos planos e contra-planos. E o uso dela implica no balanceamento das formas, com seus pesos, com suas texturas – sim, essas são resultantes das cores, das linhas e dos pontos e da profundidade de luz – suas medidas, seus tons de mais claros e mais escuros.

São essas técnicas de desenho que permitem a um desenhista passar a um outro nível em suas criações.

A partir delas vem as noções e os princípios de composição gráfica.

E é na composição gráfica que se obtém harmonia, balanço, contrastes, movimentos, orientação e condução visual do olhar do leitor.

Desses parâmetros e dessas técnicas surgem os projetos gráficos. Assim, nasce um design. E por detrás dessa criatura, está seu criador, o designer. E na fundação de ambos está o desenho.

Deixe uma resposta